Inicio > Nossa Gente > Gente que fez ou faz a história > Adriana Lessa

Adriana Lessa

Biografia
São Paulo. Horário local: 12 horas.

Eu bem que queria ter ficado naquele lugar quentinho só que minha hora havia chegado e minha mãe já esperava por aquele acontecimento há nove meses.

Então, eu cheguei! Liberdade!

Tudo caminhava bem até que aquele homem enorme, todo vestido de branco, virou meu mundo de cabeça para baixo e, como se não bastasse, ainda bateu no meu bumbum. Não tenha dúvida, doeu e eu chorei! Deve ter doído muito mesmo porque soube que minha mãe chorou também.

Nasci em São Paulo, em um bairro que tem o nome pelo qual eu vivo: LIBERDADE.

Adriana LessaNão sei como minha mãe conseguiu esperar até chegar lá. Eram 30 km de distância entre nossa casa, em Guarulhos, até o hospital.

Meu pai foi operário em uma indústria que produzia máquinas de escrever. Talvez muitos nem saibam o que isto significa além de não terem tido a oportunidade de conhecer uma máquina de escrever.

Minha mãe foi professora e, durante anos, ajudou a educar muitas crianças no ensino público.

Da melhor forma que puderam meus pais proporcionaram, para meu irmão e para mim, a nossa ativa participação nos programas de integração nas atividades desportivas, sociais, culturais, recreativas e espirituais promovidas pela “Associação Cristã de Moços”.

Estes programas da ACM criavam condições para que o conjunto de experiências, habilidades e criatividades dos professores/monitores promovessem nosso crescimento ajudando-nos a desenvolver as relações convivência, a autoconfiança, o respeito próprio, a capacidade de liderança e seu uso responsável a serviço da coletividade.

Sempre tive, ao meu lado, meu querido irmão Marcos como companheiro das grandes descobertas. Praticávamos esportes, estudávamos nas mesmas classes, andávamos de elefante pela cidade, sentíamos a terra quente sob nossos pés quando corríamos descalços nas ruas, brincávamos, ríamos, chorávamos.

As discussões entre crianças eram inevitáveis e, por diversas vezes, Marcos me impediu de pular o muro de casa para ir à Paris.Adriana Lessa

Minha imaginação já se apresentava bastante fértil. Acredito que muitas crianças também sejam assim.

É importante que, em solo fértil, plantemos a boa semente!

Após anos praticando esportes de competição a uma oportunidade inusitada aconteceu. Acompanhei um amigo em um teste teatral e, logo na semana seguinte ao teste, comecei estudos e ensaios com o diretor teatral Antunes Filho por ter sido aprovada.

Entendi, em determinado momento, que eu poderia ser o que quisesse ser e que querer não seria suficiente e sonhar apenas não bastaria. Apesar das dificuldades, seria preciso estudar, trabalhar e lutar com a alma e com todo o coração por aquilo que eu desejaria alcançar. Ainda não cheguei nem na metade da caminhada e sei que a caminhada é longa. Mas caminhar faz bem para saúde.
Em 1986, Adriana Lessa iniciou sua carreira artística sob direção de Antunes Filho nos espetáculos “Macunaíma” de Mário de Andrade e “A Hora e Vez de Augusto Matraga” de Guimarães Rosa apresentando-se em São Paulo, no teatro SESC Vila Nova, atual SESC Consolação e participando de festivais na França, Áustria, Espanha, Alemanha, Grécia e Canadá.

Como cantora e bailarina, apresentou-se a bordo do navio “Vasco da Gama/Sea Wind Cruise Line” no espetáculo “Brasil, Canta e Dança”, sob direção de Abelardo Figueiredo, pela costa brasileira e em Aruba, Trinidad, Tobago, Curaçao, Grécia e Costa do Marfim, participando ainda do staff artístico de hotéis em Porto Rico e Japão.

Retornando ao Brasil, foi apresentada ao diretor José Possi Neto que a dirigiu em eventos musicais e em diversos filmes publicitários nos quais familiarizou-se com a linguagem de “teatro-dança”.

Ainda no teatro, foi dirigida por Cininha de Paula, ao lado de José Maurício Machline, no musical “um Gordo em Conquista”,por Wolf Maya no musical “Cabaret Brazil”, por Tânia Nardini no premiado musical internacional “Rent” e por Roberto Lage na leitura dramática do texto de Plínio Marcos “A Mancha Roxa”.

Na TV, fez sua estréia em “Araponga”, na TV Globo, dando início a diversos outros trabalhos entre os quais destacaram-se “Chiquinha Gonzaga”, “Terra Nostra”, “Aquarela do Brasil” – finalista do prêmio “EMMY 2001” e “O Clone”. Na TV Record participou da minissérie “O Desafio de Elias” e de “Alma de Pedra”. Apresentou programas na MTV e na TV Bandeirantes.

No cinema, atuou em filmes de longa, de média e de curta metragem “Com que Roupa” de Ricardo Van Steen, “O Samba Mandou me Chamar”,de Sergio Zeigler e Vitor Ângelo, “Capitalismo Selvagem” de André Klotzel, “Amassa que Elas Gostam” de Fernando Coster, “Papel e Água” de Michel Tikhomiroff e “A Hora Mágica” de Guilherme de Almeida Prado.

Fonte: http://www2.uol.com.br/adrianalessa

voltar Voltar

 

Pesquisar

Copyright © Guarulhos.org - Todos os direitos reservados / Equipe GO - 1999 - 2009
Não temos vínculo com a Prefeitura Municipal
1 Usuário(s) On-line.